O MEIO AMBIENTE É A MINHA CAUSA. É A MINHA CASA!

Thaise Santin Sirena

Engenheira Ambiental formada pela Universidade de Passo Fundo, pós graduada em MBA Gestão de Projetos pela Universidade Positivo e pós graduanda do curso de Desenvolvimento Gerencial e Gestão de Pessoas.

Possui 5 anos de experiência na área ambiental no ramo de engenharia consultiva, desenvolvendo trabalhos relacionados ao licenciamento ambiental em obras de rodovias, barragens de contenção de cheias, subestações e linhas de transmissão de energia.

Atualmente trabalha na empresa Prosul - Projeto, Supervisão e Planejamento Ltda, atuando na área de gestão ambiental e supervisão ambiental da Obra de Adequação da Capacidade e Melhorias Operacionais da BR-280/SC.

thaisesantin@hotmail.com
www.linkedin: linkedin.com/in/thaise-santin-sirena/
Thaise Santin Sirena

Últimos posts por Thaise Santin Sirena (exibir todos)

Como podemos fazer a nossa parte pelo meio ambiente?

O meio ambiente é assunto da atualidade. Nunca se ouviu tanto falar sobre esse tema no nosso cotidiano. Seja em uma propaganda de televisão, nas propostas do novo governo, nos sucessivos desastres ambientais ou então em situações mais simples, como quando nos é negado um canudinho ao comprar uma bebida – justificado por ser ação que visa diminuir os impactos na natureza.

São inúmeras situações, mas que, às vezes, na correria do dia-a-dia nos passam despercebidas e não damos a devida atenção. Talvez por não nos identificarmos com o problema ou por olharmos com certo distanciamento. Algo como: o meio ambiente lá e eu aqui. Como se não existisse uma relação. E essa é a grande tragédia!

Mais do que nunca, precisamos entender que nós somos o meio ambiente, dependemos dos serviços ambientais prestados por ele para manutenção da nossa vida. O meio ambiente é a nossa casa e deve ser a nossa causa! Inevitavelmente, o que acontecer a ele, acontecerá à humanidade.

Mas, geralmente o alerta para a necessidade de mudança de hábitos é acionado em nossa cabeça em momentos de grande sensibilização. Casos como o desastre de Mariana e Brumadinho; eventos de enchentes, alagamentos e desmoronamentos que causam grandes transtornos e mortes; a crise da água, que gera o desabastecimento das cidades devido à escassez desse recurso e à poluição dos rios; dentre tantas outras. Em situações como essas entendemos que é preciso mudar. Nos questionamos sobre os reais culpados e quais serão as consequências e medidas a serem tomadas para a reparação dos danos.

O certo é que os danos ao meio ambiente não deveriam ser causados. E que, se são, ocorrem pela nossa omissão da responsabilidade – de agir, conscientizar e fiscalizar.

A boa notícia é que, na contramão do descaso, existe uma parcela da população que vêm se engajando em projetos e ações em prol do meio ambiente. Isso ocorre porque, de fato, reconhecem os impactos existentes e as consequências à nossa vida. São pessoas que possuem o sentimento de pertencimento, que se preocupam com o futuro – não só delas, mas dos seus semelhantes – e agem preventivamente porque sabem que essa é a melhor e mais eficaz opção!

Nesse dia 5 de junho – Dia Mundial do Meio Ambiente – celebrado com o objetivo de conscientizar e promover a proteção e preservação do meio ambiente –, te convido para um desafio. Que tal começar?

  • Ande menos de carro. Prefira o transporte coletivo, caronas, bicicletas ou mesmo a pé;
  • Reduza o consumo de energia. Ande pela sua casa e retire da tomada os eletrônicos no modo Stand by, eles são responsáveis por aproximadamente 12% do consumo total de uma residência;
  • Reduza o consumo de água e principalmente o desperdício;
  • Compre alimentos orgânicos. Sua produção respeita o ciclo de vida dos animais e meio ambiente, evitando a contaminação do solo, água e vegetação;
  • Reduza o consumo de industrializados. Além de não fazer bem para a saúde, possuem um grande número de embalagens que acabam virando lixo;
  • Faça a separação do resíduo. Dessa forma, você pode fazer a compostagem do resíduo orgânico e garantir a reciclagem do resíduo seco;
  • Procure locais adequados em sua cidade para o descarte de resíduos perigosos: pilhas, baterias, lâmpadas e óleo de cozinha;
  • Evite talheres, copos e sacolas descartáveis. O canudinho não é o único vilão;
  • Repense sobre o consumismo;
  • Prefira as escadas ao invés do elevador;
  • Assista no YouTube: “Aos ativistas da Mata Atlântica” e “Nós somos a Mata Atlântica”. Reconheça as funções do bioma onde você mora e a influência em sua vida;
  • Desperte a consciência ambiental nas pessoas próximas a você;
  • Exerça o seu direito! Sempre que perceber a violação às leis ambientais, denuncie!

Há muitas coisas que podemos fazer para ajudar. E você não precisa esperar até o dia 5 de junho para agir.

Lembre-se: Pequenas atitudes individuais, quando somadas, fazem muita diferença.