Por que não sabemos receber elogios?

Thaisa Dalmut

Designer e Diretora de Arte, sou apaixonada por plantas, moda, decoração, viagens... essa miscelânea linda que compõe minha felicidade. Vivo buscando novas inspirações e acredito que somos capazes de aprender e fazer tudo que realmente quisermos.

Dias atrás falando com algumas amigas lembramos de um problema que vem desde a adolescência: não sabemos receber elogios! Se alguém te chama de linda, você diz “imagina, é a maquiagem”. Elogiam a sua roupa e você diz “ah paguei baratinho”. Por que dizer um simples “obrigada” e aceitar um elogio é tão difícil? Publiquei no meu Instagram esse questionamento e percebi que não estou sozinha nesse pensamento!

não sabemos receber elogios

Mas afinal, por que não sabemos receber elogios?

Seria medo de parecermos arrogantes, ou por acharmos que não merecemos aquilo? Ou talvez, seria um pedido de reafirmação, para que a pessoa repita o elogio? Acredito que existam casos em que todas essas perguntas se encaixem, mas de forma geral, existe uma explicação psicológica para isso!

De onde vem esse comportamento? Conversei com a maravilhosa da psicóloga infantil do Rio de Janeiro, Hemily Marques, que será nossa nova inspiradora aqui no blog, e ela explicou um pouco sobre por que não conseguimos receber elogios naturalmente:

Hemily Marques Psicóloga Infantil Rio de janeiro“A capacidade em receber elogios está diretamente relacionada com a autoestima e autoimagem que a pessoa possui. Quando as duas estão baixas existe uma dificuldade em se perceber a partir dos olhos do outro e, portanto, não se achar merecedora daquelas palavras.

O que acontece também é que em nossa sociedade, é inadequado ser “convencido“, e aceitar um elogio é concordar com seus pontos positivos. Já a humildade é uma característica bem valorizada, dessa forma contraria-se o que foi dito (como uma autodefesa) e se desvaloriza, reforçando a baixa autoestima.

Desde criança somos ensinados a dar mais ênfase aos erros do que aos acertos. Em jogos, por exemplo, quando a criança erra ela perde pontos, dessa forma ela está muito mais atenta em não errar do que em quais foram suas conquistas até o momento do jogo. Outro exemplo são os temidos boletins, você acha que os pais darão mais ênfase ao 9 em português ou ao 5 em matemática? Essa supervalorização dos erros em detrimento dos acertos, ou pequenas conquistas, geram uma dificuldade em reconhecer as próprias habilidades, e consequentemente constrói uma autoimagem desvalorizada.

não sabemos receber elogios

Desta forma é importante que a autoestima e a autoimagem sejam trabalhadas em todos os momentos da vida, aprender a gostar de si mesma, saber reconhecer suas habilidades e se olhar de uma forma positiva, é torna-se uma pessoa de emocional fortalecido para conseguir se reconhecer positivamente sob o olhar do outro.”

Esse comportamento não afeta apenas nossa auto estima, mas também nossa vida profissional! Conversei com meu cunhado e diretor da Mariée for Business, especialista em gestão de empresas e empreendedorismo. Olha que explicação genial:

gleison iloi mariée for businessSe considerarmos a inteligência emocional como base para tentar responder isso, ela vai nos trazer o peso do sistema de crenças. As crenças são “verdades” que aprendemos na infância através da educação recebida e que se tornarão partes da nossa vida adulta. Para ser mais específico, é muito comum, não que seja certo, as crianças serem a todo momento induzidas ao NÃO.

“Não faça isso!, Não pegue isso!, Estou te avisando…!, Não vou mais falar!”. Essas são expressões muito comuns de pais para seus filhos, que ao invés de conversar, orientar e gerar experiências usam de seu poder para impedir da criança fazer as coisas. Isso acarreta com o passar da infância na formação de uma das piores crenças que podemos ter, que é a Crença do não Merecimento. 

Isso quer dizer que passamos a acreditar que não somos nós os protagonistas das nossas vidas e assim nos tornamos vítimas de tudo e de todos. Isso é inconsciente, porém quando adolescentes e adultos, se passamos por esse tipo de educação, nós tendemos a ter muito medo de assumir responsabilidades, de tomar decisões sozinhos e principalmente de aceitar tudo que vem do outro, porque fomos “educados” pelo não.

E quando somos educados pelo não, pelo proibitivo, pelo errado, teremos sempre grande dificuldade para aceitar o sim. Aceitar um elogio, aceitar um presente, aceitar um boa ação. Porque inconsciente achamos que logo teremos um não, então é melhor o não sair da gente mesmo do que vir do outro. Resultado, “não, imagina!”, “ai, não precisava!”, “ai, eu não mereço isso!”.

Meu, você merece sim. Você é linda, você é maravilhosa, você é foda no que faz, aceita que pessoas te admiram, aceita que você é referência, aceita, simplesmente aceita.
Como mudar essa crença? Mude o mindset. Mude o modelo mental. Mude a forma de encarar as coisas e principalmente trabalhe todos os dias para se livrar dessa crença.
Ahh… obviamente, nem seu pai nem sua mãe fizeram isso pensando em te prejudicar, eles simplesmente fizeram isso para o seu bem. Agora que você sabe no que acarreta, apenas faça diferente com os seus filhos.

Quer uma dica para ajudar nisso? Leia o livro Mindset: A Nova Psicologia do Sucesso, de Carol Dweck, ele é fantástico!

por que não sabemos receber elogios?

Eu sempre pensei muito sobre isso e faz tempo que tento mudar esse comportamento. Precisamos saber nos valorizar e ser valorizadas, ter amor próprio e boa auto estima! Só amando a si próprio primeiro se descobre o amor de verdade. Não quer dizer que você tenha que sair por aí falando que é melhor do que ninguém, apenas aceitar e saber se admirar também!

A Hemily comentou comigo que somos construídos na infância e ter que desconstruir algo na vida adulta é muito mais difícil. O primeiro passo, claro, é tomar percepção do problema! Eu sugiro um desafio: aceitar todos os elogios que você receber a partir de agora com um lindo OBRIGADA! Quem topa?