As plantas possuem sentimentos?

Jéssica Varjão

Engenheira Agrônoma, sócia-proprietária do Armazém Natural, aquariana é muito sonhadora, sou apaixonada por assuntos que envolvam plantas, animais, moda e viagens,e estou sempre disposta a compartilhar ideias!

Afinal, plantas têm sentimentos?

Eu tenho um amor enorme pela agronomia e um carinho mais que especial por plantas e animais, optei como profissão a agronomia, pois meu carinho excessivo por animais certamente atrapalharia minha vida profissional (kkkkkk). Tive o privilégio de crescer rodeada por pesquisadores agronômicos, e já na fase pré-escolar tive absoluta certeza que queria trabalhar em algo voltado a vida no campo.

Minha família é pequena, sou filha única com poucos tios e primos morando próximos a mim, então desde criança acabei desenvolvendo uma ligação de amizade com as plantas muito forte que segue comigo até hoje, normalmente quando estou cuidando de algum jardim sempre me pego converso com alguma plantinha, o que acaba se tornando motivo de piada no meu convívio social e por muitos anos ouvi essas chacotas mesmo sabendo bem lá no fundinho do meu inconsciente que esse meu bate papo com as plantinhas não eram em vão.

Muitos cientistas acreditam que as plantas não têm sentimentos, outros acreditam e até provam essa teoria, quero apresentar alguns dados para que o horizonte sobre esse assunto se abra na sua mente.

Vou começar com a teoria que particularmente mais gosto, que é a de Cleve Backster e sua Percepção Primária, em resumo diz que existe uma comunicação básica entre todos os seres vivos, desde uma bactérias até a célula de um organismo maior. Backster foi um respeitado especialista do detector de mentiras, ele decidiu colocar um detector em plantas enquanto as regava e o que ele identificou foi uma sensação de alivio quando a planta era tocada pela água. Outro registro importante foi que ao aproximar um fósforo a planta sentia algo semelhante a terror. Para aprofundar mais a teoria ele estudou três plantas de mesma espécie, idade e condições de sobrevivência, onde uma foi tratada com carinho, outra com agressividade e a terceira sem atenção alguma, o desenvolvimento das três plantas foram diferentes.

Outra teoria em desenvolvimento é a de Appel e Cocroft, uma música pode não fazer diferença na vida de uma planta, mas o barulho que uma lagarta faz ao mastigar faz com que as plantas inundem suas folhas com defesas químicas para afastar predadores.

Da mesma forma que acredito nessas pesquisas confio também no poder das plantas, certamente você já presenciou uma planta que estava linda cheia de vida, e que murchou ou secou de repente de uma hora para outra?

Como todo ser vivo a planta também possui seu campo de energia, no caso ela é uma doadora, ela percebe quando estamos esgotados, cansados e acaba cedendo essa energia para gente, fazendo com que ela murche, seque e em alguns casos chegue a morrer.

Emoções positivas são como fertilizantes, adubam as plantas, por isso os jardineiros mais carinhosos possuem resultados satisfatórios, com belos jardins e hortas.

As plantas precisam de carinho e amor. Da próxima vez que for cuidar de suas plantinhas, vá de alma e coração aberto, aprecie esse contato, essa troca de energia, você terá ótimos resultados, acredite!

Bons cultivos!

 

Marcado com

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: